Páginas

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Era à exceção daquela regra...
No meio daquelas pessoas ela era a estranha.
Num mundo que não era o seu, tentava sobreviver
Enquanto uns fotografavam roupas, mulheres bonitas, sapatos e bolsas,
ela fotografava pessoas com suas realidades , mas que muitas vezes poucos viam-ou fingiam não ver-
Quando tentava mostrar seu trabalho, falar o que pensava e expor seus sentimentos,o conseguia.
Porém fora durante muito tempo e ainda hoje tratada como louca.
Talvez seu destino seja a casa verde, talvez seja ficar como sempre...
Uma eterna inconformada.





Aguardo seus devaneios em dosblocosaoblog.blogspot.com
Para Luciele Oliveira

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

De uma conversa, saiu isso...

Sempre as mesmas idéias que não batem...
Sempre as mesmas esperanças nunca preenchidas...
Todas essas coisas...
É Como
Ficar apostando inúmeras vezes no mesmo número e ele nunca ser sorteado...
Queria que só um abraço ajudasse...
Mas
...
Ele não ajuda.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Maxwell's silver hammer


quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Os morangos

Tive uma Professora de Português no Ensino Fundamental chamada Rita... Muitas vezes os alunos não prestavam atenção no que ela falava, mas lembro muito bem do esforço da Professora em instigar a leitura e a escrita.
Uma vez ela trouxe esse conto para sala de aula... Nunca me esqueci.
Apreciem Os Morangos de Giselda Laporta Nicolelis

A vizinha espiou por cima do muro.
-Bom dia seu Agenor!
-Bom dia.
Que lindos estão estes morangos,que maravilha.O senhor não colhe,seu Agenor?Estão no ponto.
-Não gosto de morangos.
-Que pena,aqui em casa somos todos loucos por morangos.As crianças então nem se diga.Se não colher vão apodrecer no pé,uma judiação.
-É.
-Se o senhor não se incomodasse,eu colhia um pouco.Já que o senhor não gosta de morangos.
-Com licença,preciso pegar o ponto na repartição.
-A vontade seu Agenor.E os morangos?
-Não prestam para comer.Têm gosto de terra.
-Pena, tão lindos.
Saiu para repartição.Voltou à noite.O luar batia em cheio no canteiro dos morangos.Acercou-se em silêncio.Estavam bonitos mesmo.De dar água na boca.Pena que não pudesse comê-los.
Suspirou fundo.
Mariana,tão linda.Linda como uma flor.Mas tão desleixada,tão preguiçosa.Comida mal feita,roupa por lavar,pratos gordurosos. E aquele gênio!Sempre descontente,exigindo tudo o que não podia lhe dar,espezinhando-o pelo seu magro salário.
Fora realmente uma gentil idéia plantar os morangos depois de enterrara no jardim.

Giselda Laporta Nicolelis

domingo, 4 de dezembro de 2011






"Não havia como escapar; a Humanidade progredia em etapas, e os homens , na verdade, faziam parte, cada grupo à sua maneira, de determinados estágios da civilização".

Lilia Schwarcz
     As Teorias Raciais











Ontem minha irmã, muito interessada em fotografias, me chamou:
"Fran!Vem ver isso aqui!"
Fiquei espantada com as fotos que vi...Uma série delas expressavam o que eu estava lendo...

Fotos de uma época em que a diversidade étnica passava a ser cientificamente justificada por teorias progressistas e evolutivas.
Onde as grandes exposições aconteciam para evidenciar as diferenças e mais que isso, mostrar as superioridades daqueles que acreditavam possuir.

Ah! Antes que eu me esqueça...A chamada da reportagem dizia:

Exposição relembra shows étnicos com humanos 'exóticos' na Europa

"Mostra retrata como indígenas e deficientes físicos foram exibidos durante séculos em feiras, circos e zoológicos no Ocidente".






Na foto, cartão postal com 'um pequeno grupo de peles vermelhas', exibidos em 1911.

Cartão postal apresenta javanesas Kapong na Exposição Universal de Paris de 1889, que marcou a inauguração da Torre Eiffel.

Tribo indígena Nyambi é exibida no jardim zoológio da Acclimation de Paris, em 1937.



Mulher da etnia Achanti, de Gana, é exibida no jardim zoológico da Acclimation de Paris, em 1903. Foto: grupo de pesquisas Achac, coleção particular.


Em 1895, o fotógrafo Joannès Barbier organizou uma exibição no Champs de Mars, em Paris, de 350 pessoas senegalesas e sudanesas. Barbier realizou três exposições 'reconstituindo' vilarejos africanos.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Achei bonito isso...

Nunca perguntam quais as flores que mais gostamos...
Hoje ela me perguntou.

Para Maritza Schmidt

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Pretérito Imperfeito

Havia amizade



Havia confiança
Havia ternura

Havia carinho e amor
Havia saudade
Havia esperança

Havia ela e ele

HAVIA
IA
Pretérito imperfeito de Haver
Hoje nem vê
Só há
Há só ela
Há ela só.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A vida me ensinou...
A dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração...



Charles Chaplin

terça-feira, 11 de outubro de 2011

O que se quer... O que se precisa...

Isso eu quero, eu quero, eu quero, eu quero, eu quero, eu quero
Esse eu quero, eu quero,eu quero, eu quero, eu quero, eu quero
Também quero, quero, quero, quero
-mas paiiii..Eu preciso.

Dizia uma menininha apontando aos vários produtos da prateleira em um supermercado...

domingo, 2 de outubro de 2011

Nesses tempos conturbados vim compartilhar minha perda de identidade...
PERDA não PERCA...
Enfim...
Começou quando nasci
...
O sentimento não era contínuo.
Apesar de sermos tão iguais (era tudo aparente)
Eu sabia que no fundo éramos diferentes.

A questão é que não era só com ela
Não era só ela que me fazia perder a identidade

                           ***

Nesse mundo há pessoas que nos fazem perder nossas convicções
Fazem deixarmos de sermos quem somos ou quem acreditávamos ser
...
Essas sim, nos transformam profundamente.
Um dia essas mesmas irão embora e nos farão pensar:
Perdi um pouco de mim?

                           ***
E então farão você retornar a velha pergunta
Quem eu sou?
Ou ainda
Quem eu sou sem você?

domingo, 25 de setembro de 2011






I want so much to open your eyes
Cause I need you to look into mine

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Se Alice voltasse...

Há 130 anos, depois de visitar o país das maravilhas, Alice entrou num espelho para descobrir o mundo ao avesso. Se alice renascesse em nossos dias, não precisaria atravessar nenhum espelho:bastaria que chegasse à janela.




Eduardo Galeano

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Um sonhador





Aproveitando esses dias de folga
Cabem aqui mais alguns pensamentos...




Nossa mente às vezes para, trava e não sai nada;
Fazer poesia não é regra
Não tem data, hora e lugar preciso
Às vezes vem
Às vezes não
Às vezes pura ilusão
Doce fantasia
Só devaneios

Às vezes vem correndo ligeiro
Se demorar passa
É esquecido
Para nunca mais voltar.
Assim 
Só nos resta compartilhar.

Aqui é o meu porto seguro.
Aqui mora o meu pensar
Que mal há em sonhar?



Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem diga nem todas, só as de verão.
Mas no fundo isso não tem muita importância.
O que interessa mesmo não são as noites em si, são os sonhos.
Sonhos que o homem sonha sempre.
Em todos os lugares, em todas as épocas do ano,
dormindo ou acordado.
William Shakespeare

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

                                                

                                                Tudo dito,
                                                Nada feito
                                                Fito e deito




Leminski

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Como nossos pais...

Uma das maiores e melhores conversas que tive ocorreu ontem...
Com minha mãe.
Num desabafo meu sobre resistência conservadora na família e o uso do senso comum...
...Discursos velhos que não cabem mais, comprovados pela realidade. Muitos são oprimidos pelas bocas que insistem em afirmar regras que não existem mais.
Dizia a ela como me incomoda alguns conselhos paternos proferidos quase como ordens. Pior ainda quando tais conselhos eram e continuam sendo fundamentados em discursos de cunho conservador, carregados do preconceito m ais barato, justificados com a seguinte frase "Tudo isso, para o bem de vocês", e assim seguiam-se as regras: Não andem com x, não falem Y não aceitem isso ou aquilo...
Realmente, às vezes conselhos dados não servem, pelo simples fato de não se conhecer a fundo as pessoas a quem eles estão sendo sugeridos.
A conversa ia mais a fundo...
Comentei com ela como é comum ouvir dos mais velhos "No meu tempo as coisas não eram assim... Os filhos baixavam a cabeça e era assunto encerrado"...
"Na minha época não tinha nada do que vocês têm hoje"
Ou ainda
"Que desaforo, no meu tempo filho não respondia pro pai, se respondesse apanhava".
A conclusão que se chega por tais discursos é a de que "O mundo hoje tá perdido".
Bom... De maneira simplista me pergunto: O que essas pessoas querem?
Fiz então algumas colocações:
1. Querem que não falemos, não questionemos, aceitemos a situação das coisas em nome de um passado conservador?!
2. Não entendo, mas fazendo uso de uma visão quase que evolucionista, acredito que desde a época dos nossos pais é possível perceber que as coisas mudaram, mas parece que isso incomoda muita gente... A mudança os assusta.
3. Quando falam "não sei por que esses jovens reclamam tanto, no meu tempo não tinha tal coisas, hoje eles têm!". Ter ou não ter tal coisa, não significa que tenhamos que nos acomodar ou agradecer, mas o que é que esperam de nós?
Que acreditamos numa evolução das coisas e em nome disso excluamos os problemas de nosso presente?
...
O pensamento conservador segue, o que mais me espanta é que ao perguntar: "Tá mãe, mas na sua época, você gostava disso... dessa repressão familiar?" a resposta veio... "Não tínhamos de gostar ou não, somente obedecer".
Novamente me perguntei...
Então, o que esperam de nós?
Reprodução de um comportamento marcado por uma das instituições mais antigas da História: A família.
Espero que um dia eu não cobre dos meus filhos um comportamento X , em nome de um passado pelo qual eles não passaram e que a frase da música que diz "Ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais",seja diferente...



Ainda bem que diferente de outros 'mais velhos’, ela não faz uso do apelo à autoridade. 
Mesmo incomodada com o assunto, soube ouvir e dialogar.
...
Amo minha mãe.

domingo, 28 de agosto de 2011








"Two years he walks the earth.
No phone, no pool, no pets, no cigarettes.
Ultimate freedom. An extremist.
An aesthetic voyager whose home is the road.
Escaped from Atlanta. Thou shalt not return,
'cause "the West is the best."
And now after two rambling years comes
the final and greatest adventure.
The climactic battle to kill the false
being within and victoriously conclude
the spiritual pilgrimage.
Ten days and nights of freight trains
and hitchhiking bring him to the
Great White North.
No longer to be poisoned by civilization
he flees, and walks alone upon the land
to become lost in the wild."
Alexander Supertramp, May 1992 

quinta-feira, 25 de agosto de 2011


A bisa

Depois da aula sobre a Revolução industrial fiquei pensando naquilo que disseram para dona Onira Pereira Rodrigues,mais conhecida por mim como "bisa", quando trabalhava nos Hoteis Jantzen e Piraju de Santa Maria, uns dos hotéis mais referendados nos anos de 1950, onde a elite passava seu tempo ao vir pra 'cidade ferroviária'.
Certa vez ela ouvira da boca do dono do hotel:
"Ninguém é insubstituível"...
O que pode ser traduzido a grosso modo como "isso que você faz, qualquer um pode fazer..."
O episódio se passou, quando noticiado o suicídio de um companheiro de trabalho.





























Edifício do Hotel Jantzen hoje...








*As imagens do hotel Jantzen foram retiradas do trabalho intitulado: 
Resgate Histórico do edifício Cauduro de Santa Maria RS e seu aproveitamento turístico.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011


Ela o amava. Ele a amava também. E ainda, que essa coisa, o amor, fosse complicada demais para compreender e detalhar nas maneiras tortuosas como acontece, naquele momento em que acontecia dentro do sonho, era simples. Boa, fácil, assim era. Ela gostava de estar com ele, ele gostava de estar com ela. Isso era tudo.
.

Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 1 de agosto de 2011





Estamos arriscados a morrer a qualquer hora, a tragédia é que não morremos...









E quando as palavras mais certas vêm das pessoas mais "erradas"?

domingo, 24 de julho de 2011

La Môme




Um dos melhores filmes biográficos que já assisti.
Fotografia e maquiagem excelentes,sem falar na trilha sonora e na belíssima atuação de Marion Cotillard.
Vale a pena assistir... Apesar do resultado aqui em casa ter sido um mar de lágrimas...







Informações sobre o filme:

Título no Brasil: Piaf - Um Hino ao Amor
Título Original: La Môme
Duração: 140 minutos
Lançamento: 2007
Direção: Olivier Dahan





Feito mistério



Então
Senti que o resumo
É de cada um
Que todo rumo
Deságua em lugar comum ...


Lourenço Baêta e Cacaso

terça-feira, 19 de julho de 2011

Se é que palavras certas existem ...


Tentando encontrar as palavras certas...
Talvez um poema ou uma música faça isso por mim...

Como falar o real sem ser cruel?
...
Tarefa difícil.

Quando eu descobrir, contarei o segredo
Em voz alta...

Não para os outros saberem, mas para mim mesma.
Para ver se a "altura" das palavras incita a coragem, como velhos gritos de guerra.

terça-feira, 12 de julho de 2011

For dreamers...



Um barco navega, sonhando, contente,
Na tarde de julho - e o sol, complacente,
O mar ilumina em fulgor resplendente...

Crianças felizes, na praia abrigadas,
Num grupo de três, a escutar, encantadas,
Um simples relato de lendas douradas...

Desbotam memórias a cada arrebol
Dos ecos arcanos de antigo farol -
As geadas do inverno mataram o sol!...

O fantasma de Alice assombra-me ainda,
Debaixo dos céus se movendo- tão linda!
Na terra invisível de sonhos infinda...

Somente crianças, ao ouvirem a história,
Com olhos ansiosos, atentas à  glória,
Percebem o ouro no meio da escória...

E fazem seus ninhos na Terra Encantada,
Sonhando de dia e na noite estrelada
Com mortos verões transformados em nada...

E ao serem jogadas na estranha corrida
É a mensagem dourada afinal percebida:
Que a vida é um sonho e que o sonho é a vida!...

Lewis Carrol
Alice no País do Espelho

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Poesia do dia...




Para evitar malentendidos
Digamos desde já que nos amamos

Imagens I
Cacaso

domingo, 3 de julho de 2011

blá blá blá


E quando a boca diz o que não quer?

Quando diz o que não pode?


E quando a fala tenta enganar a razão?
Quando você pronuncia o que não sente...

Quando fala por falar
Quando fala para disfarçar

Pura farsa!

Na fala às vezes a gente percebe
Uma mente aprisionada
A cabeça pensa uma coisa
Imagina uma coisa...
E a boca não fala nada

O medo de falar o que se pensa
Amarra a nossa alma

Pensando bem...

Às vezes falar muito
Significa dizer nada

Às vezes a boca é carma
Desgaste do ser
Que se perde falando
O que pode fazer

Convencer...

Primeiro convence-te a ti mesmo
De que...

Não há vida que agüente
Uma boca em descompasso com a mente.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

+ 6 Frans?

Não lembro se li
Não recordo se me disseram
Só  sei que não esqueci
-Uma ordem crê que há 6 pessoas iguais a você
Elas vivem espalhadas pelo mundo,somando 7.
Verdade ou não?
sei lá...
Tomara que vivam mais que eu.

"Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe".
Oscar Wilde



Post publicado em: ind-wayne.com.br

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Sexta-feira...

Vamos curtir Stones?




Dou um prêmio para quem dançar como o Mick Jagger...
sério.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Nossa grande depressão

"Eu vejo aqui as pessoas mais fortes e inteligentes.
Vejo todo esse potencial desperdiçado.
A propaganda põe a gente pra correr atrás de carros e roupas.
Trabalhar em empregos que odiamos para comprar merdas inúteis.
Somos uma geração sem peso na história.
Sem propósito ou lugar.
Nós não temos uma Guerra Mundial.
Nós não temos uma Grande Depressão.
Nossa Guerra é a espiritual.
Nossa Depressão, são nossas vidas.
Fomos criados através da tv para acreditar que um dia seriamos
milionários, estrelas do cinema ou astros do rock.
Mas não somos.
Aos poucos tomamos consciência do fato.
E estamos muito, muito putos.

Você não é o seu emprego.
Nem quanto ganha ou quanto dinheiro tem no banco.
Nem o carro que dirige.
Nem o que tem dentro da sua carteira.
Nem a porra do uniforme que veste.
Você é a merda ambulante do Mundo que faz tudo pra chamar a atenção.

Nós não somos especiais.
Nós não somos uma beleza única.
Nós somos da mesma matéria orgânica podre, como todo mundo".


Tyler durden
Fight Club

sábado, 14 de maio de 2011

Teoria III

Teoria III... Materialismo Histórico chegando até aqui...
Deixo com vocês/para vocês um belo trecho que li:


"Gramsci deu uma das suas melhores definições da história,na carta escrita ao seu filho Délio, pouco antes de morrer.Nela ele lhe dirá: Queridíssimo Délio: Sinto-me um pouco cansado e não posso escrever muito. Tu escreve-me sempre e de tudo o que te interessa na escola. Eu creio que a história te agrada, como me agradava quando eu tinha a tua idade, porque ocupa-se dos homens vivos, e tudo o que se refere aos homens, ao maior número possível de homens, a todos os homens do mundo enquanto se unem entre si em sociedade e trabalham, lutam e se melhoram a si mesmo, não pode deixar de agradar mais que qualquer outra coisa".

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Um copo vazio está cheio de ar

Tudo certo?
Ou errado?
Com seus altos e baixos
A vida no geral é bem conturbada
Cheia ou vazia?
O palavras fran.cas anda assim...

Duvidoso
Duvidando
Seco
Vazio
Parado.

Produzo fora daqui...

Volta e meia
Talvez volte
Pra contar por que sumi
Quanto disso utilizei
Quanto disso aprendi.


"Uma metade cheia, uma metade vazia
Uma metade tristeza, uma metade alegria
... 
é sempre bom lembrar
Que um copo vazio
Está cheio de ar".

Chico Buarque

sábado, 2 de abril de 2011

Lixo , Fotografia e História?

Essa intervenção fotográfica faz parte da proposta individual, do PIBID História, intitulada Relações sociais e o ambiente: Trabalhando História e o “lixo”, que tem como objetivo trabalhar a relação mútua entre sujeitos e o ambiente que dependem e vivem, propondo a reflexão sobre nossas ações nesse ambiente, sobre o sistema deficiente do qual fazemos parte e os efeitos desse sistema, assumindo como o principal efeito o “lixo”, a produção de bens desperdiçados.
A Intervenção fotográfica realizada em 01/04/2011 tem a intenção de trazer imagens com a temática Ambiente e Lixo provocando questionamentos àqueles que as olham, trazendo a tona reflexões sobre o tratamento de resíduos na COHAB Fernando Ferrari.

"Fotógrafos" do dia: Franciele Oliveira,  Luciele Oliveira,Marjorie Göttert,Priscila Oliveira e Rafael Wilhelm.

Confira as fotos:












 
Header Image by Colorpiano Illustration